terça-feira, 8 de Novembro de 2011

Candidatura do companheiro Jorge Faria Freitas

O companheiro Jorge Faria Freitas, até ao momento Secretário-Geral da JSD Guimarães, encabeça uma candidatura à Comissão Política Concelhia. A sua candidatura recebeu o apoio unânime da anterior CPC. Aqui fica a ligação para o blogue da candidatura:


O acto eleitoral decorrerá no próximo sábado, dia 12 de Novembro, entre as 15:00 e as 18:00.

Eleições JSD Guimarães

Estão convocadas as eleições para a Comissão Política Concelhia e para a Mesa de Plenário da JSD Guimarães para o próximo dia 12 de Novembro, a partir das 15:00. As urnas estarão abertas até às 18:00.

Ligação para a edição do Povo Livre com a convocatória.

terça-feira, 18 de Outubro de 2011

Nota de imprensa: Evento de Formação Política

Formação política “Pensar Global, Agir Local”
A JSD Guimarães realiza no próximo fim-de-semana um grande evento de formação política autárquica

Nos próximos dias 22 e 23 de Outubro, a Comissão Política da JSD Guimarães promoverá um evento de formação política com enfoque na política autárquica. Será a oportunidade para os jovens do concelho aprofundarem os seus conhecimentos sobre o funcionamento do sistema político nacional e autárquico, com particular atenção para as alterações que advirão da reforma da administração local, em discussão pública.

O evento contará com palestras dos Deputados Carlos Abreu Amorim e Fernando Negrão, do Presidente do PSD Distrital de Braga e Vice-Presidente da Câmara Municipal de Famalicão, Paulo Cunha e do Presidente do PSD Guimarães, André Coelho Lima. Estes oradores falarão de temas como a reforma da administração local, a arquitectura do sistema político nacional e função legislativa do Parlamento, do funcionamento das autarquias locais e dos desafios que Guimarães enfrenta e caminhos de futuro para o município.

Durante dois dias, os jovens vimaranenses aprenderão sobre estes temas e desenvolverão trabalhos com propostas concretas, que debaterão numa simulação parlamentar.

“É a concretização da aposta na formação de quadros, que foi sempre uma constante no nosso trabalho ao longo dos anos”, afirmou o Presidente da JSD Guimarães, Alexandre Barros da Cunha. “Com esta iniciativa, estaremos a preparar quadros da JSD para poderem dar o seu contributo nas suas comunidades, freguesias e município, pois é deles o futuro deste concelho”, declarou o jovem autarca vimaranense.

A sessão de encerramento contará com a presença dos Deputados vimaranenses Francisca Almeida e Emídio Guerreiro, bem como com uma intervenção do Presidente da JSD Nacional e também Deputado, Duarte Marques.


Seguindo a aposta da JSD Nacional na preparação dos seus quadros para a política, este evento terá como modelo inspirador a Universidade de Verão da JSD e contará com 50 formandos. A formação decorrerá na Pousada da Juventude de Guimarães.


Os oradores
Carlos Abreu Amorim é formado em Direito, sendo professor auxiliar da Escola de Direito da Universidade do Minho. É presença regular na comunicação social portuguesa. Encabeçou a lista do PSD pelo círculo eleitoral de Viana do Castelo, como independente, nas eleições legislativas de 5 de Junho de 2011, desempenhando actualmente a função de Deputado à Assembleia da República.

Fernando Negrão é magistrado de carreira. Desde 2002 tem vindo a desempenhar diferentes cargos públicos, quer como deputado, quer como Presidente do Instituto da Droga e da Toxicodependência, quer como Director-Geral da Polícia Judiciária. Foi Ministro da Segurança Social, da Família e da Criança no XVI Governo Constitucional. Nas eleições legislativas de 5 de Junho de 2011 integrou as listas do PSD pelo círculo eleitoral de Braga.

Paulo Cunha, advogado e docente universitário, é actualmente Vice-Presidente da Câmara Municipal de Vila Nova de Famalicão, função que acumula com a presidência do PSD Distrital de Braga.

André Coelho Lima, advogado de profissão, é Presidente da Comissão Política Concelhia de Guimarães do PSD. Entre 2005 e 2009 desempenhou as funções de líder do grupo parlamentar do PSD na Assembleia Municipal de Guimarães, município onde actualmente é vereador sem pelouro.

segunda-feira, 13 de Junho de 2011

Comunicado JSD Regional: eleições legislativas

Publica-se de seguida o comunicado da Comissão Política Regional de Braga da JSD sobre os resultados das eleições legislativas de 5 de Junho no distrito.

A Comissão Política Regional de Braga da Juventude Social Democrata vem, por este meio, congratular-se pelo resultado das eleições legislativas decorridas no domingo último.

Destacamos de forma especial a votação expressiva no PSD em todo o Distrito de Braga.

Os cidadãos confiaram ao Dr. Pedro Passos Coelho a tarefa de mudar as suas vidas para melhor. Para a JSD Regional de Braga ficou provado que compensa falar a verdade e apresentar um programa concreto para mudar Portugal, e que tem também resultados a aposta na juventude para fazer face aos obstáculos que teremos que ultrapassar em conjunto no futuro próximo.

É motivo de regozijo para a JSD o facto de ter sido este o Distrito que assinalou uma viragem na campanha eleitoral. A passagem do Dr. Pedro Passos Coelho pelo Distrito de Braga ficou marcada por uma excelente recepção em Pevidém – Guimarães, pela calorosa recepção em Celorico de Basto, pela imensa massa humana que envolveu o Dr. Pedro Passos Coelho no almoço em Amares/Vila Verde, pela fenomenal arruada em Braga, pelo banho de multidão que acolheu o candidato do PSD em Esposende e pela multidão que com ele jantou em Barcelos. Em todos estes momentos, destaca-se um denominador comum: uma presença maciça de jovens que quiseram marcar presença e acompanhar o Dr. Pedro Passos Coelho durante todo o périplo pela Região mais Jovem do País.
Este facto configura uma contra-corrente com a actual participação cívica e política dos jovens, o que nos motiva uma forte determinação em continuar a trabalhar por uma Região de Futuro, pelos seus Jovens. Com eles queremos encontrar as melhores soluções para virar a página de um presente difícil.

Tal como esperado, a confiança dos cidadãos do Distrito de Braga recaiu no Partido Social Democrata. Assim sendo, agradecemos a confiança que os eleitores mais jovens depositaram no PSD, demonstrando dessa forma a convicção de que apenas o PSD poderá oferecer-lhes um futuro condigno.

Àqueles que suportaram uma governação desastrosa para o Distrito de Braga, restou uma derrota que coloca um ponto final nas especulações recentes: o Distrito de Braga confia no PSD e castiga aqueles que apoiaram cegamente a discriminação negativa que a governação socialista dedicou ao Minho.
Fica assim claro que não é possível continuar a governar contra as pessoas, reduzindo as suas perspectivas de futuro, resultando na maior vaga de emigração deste século. Hoje sofremos o resultado de uma governação incompetente, demasiado preocupada com propaganda e muito pouco interessada no desenvolvimento de Portugal e dos Portugueses.

A JSD Regional de Braga está e estará na linha da frente da defesa dos interesses da região, com uma actividade política próxima da sociedade e dos principais intervenientes nas diferentes áreas de intervenção.
A JSD Regional é uma estrutura inclusiva e extrovertida, onde todos terão oportunidade de participar e de ajudar a construir um futuro melhor para todas as gerações e por uma Região de Futuro.

Braga, 9 de Junho de 2011.

sábado, 14 de Maio de 2011

Apresentação da candidatura de Alexandre Barros da Cunha à liderança da JSD Regional de Braga

No passado dia 4 de Maio, Alexandre Barros Cunha apresentou publicamente em Guimarães a sua candidatura à liderança da Comissão Política Regional da JSD. Com uma candidatura que reúne o apoio de todas as concelhias do distrito, o vimaranense declara como fundamento da sua candidatura a abertura desta organização política à sociedade, em particular na aproximação à juventude. “É tempo das novas gerações participarem activamente na condução dos nossos destinos colectivos”, afirmou.

O candidato pretende que a JSD Regional de Braga, a que dá rosto com o seu candidato a Secretário-Geral, Miguel Peixoto, seja uma estrutura inclusiva. “Será o elemento aglutinador de diferentes perspectivas e um espaço de incentivo a novas formas de participação política de novos agentes de mudança”.

A este projecto não são alheios os grandes desafios que Portugal enfrenta actualmente. Nas palavras do candidato a presidente da JSD Regional, “Muito do que hoje é garantido deixará de o ser e a sociedade dará resposta a novos formatos e mecanismos de governo”. Assim, esta equipa pretende dar o seu contributo para questões como a reforma da Segurança Social e a valorização do voluntariado. Sobre o distrito, pretendem promover para o distrito uma nova imagem de marca, relacionada com o perfil desta geração. Devido ao potencial humano de um dos distritos mais jovens da Europa, a par com o conhecimento científico que é aqui produzido, a região pode afirmar-se como “a região do conhecimento, da formação e do futuro”.

No plano interno, Alexandre Barros Cunha defende uma acção assente em três pilares: formação política de qualidade, consistência nas propostas políticas que procurem responder aos desafios do país e a criação de oportunidades de intercâmbio de conhecimentos e aprendizagens entre as diferentes concelhias do distrito. Com essa acção pretende contribuir para a regeneração da democracia.


Nota biográfica

Alexandre Barros da Cunha nasceu em 1983, em Guimarães. Formou-se em Engenharia Civil pela Universidade do Minho, área onde exerce a sua actividade profissional. De 2004 a 2007 integrou a direcção da Associação Académica da Universidade do Minho, da qual foi vice-presidente do Dep. Social e Núcleos. Também foi presidente da Reunião Geral de Alunos de 2007 a 2009. É desde 2006 presidente da Comissão Política Concelhia da JSD Guimarães. Em 2008 assumiu a vice-presidência da Comissão Política Distrital de Braga. É deputado à Assembleia Municipal de Guimarães desde 2005.

segunda-feira, 25 de Abril de 2011

Discurso 25 de Abril na Assembleia Municipal

A sessão solene da Assembleia Municipal de Guimarães que se realizou esta manhã, no 37º aniversário da revolução de 25 de Abril, contou com um discurso, em representação do PSD, do líder da JSD Guimarães, Alexandre Barros da Cunha. Transcreve-se de seguida o discurso na íntegra.


Sr. Presidente da Assembleia Municipal de Guimarães,
Sr. Presidente da Câmara Municipal de Guimarães e Vereação,
Srs. Deputados,
Caros Vimaranenses,

Comemorar o 25 de Abril de 1974 deve servir como motivação para procurar uma democracia mais eficaz, que cumpra os objectivos essenciais para o sucesso dum futuro colectivo.
Daí que não há melhor data do que hoje para a reflexão que importa fazer acerca do nosso contributo. Para uma democracia mais justa, mais transparente, mais credível e mais participada pelos cidadãos.
Uma democracia madura onde intervém verdadeiros democratas não insinua a violência física quando sobe o calor do debate de ideias, ao contrário do que fez o Sr. Presidente da Câmara em plena Assembleia Municipal, fórum máximo da democracia vimaranense.
Uma democracia adulta não tem reuniões de Câmara conduzidas consoante o arbítrio de quem preside à reunião, com discrepâncias de critério gritantes para conceder a palavra aos Vereadores, liberdade básica na verdadeira democracia.
Uma democracia madura exercida por verdadeiros democratas não condiciona a actividade profissional por causa de posicionamentos político-partidários que contestem camaradas de partido, ao contrário da posição do Sr. Presidente de Câmara acerca das funções profissionais do Dr. Ricardo Rio na Fundação Cidade de Guimarães.
Uma democracia madura é constituída por democratas de uma coerência inatacável, ao contrário do que sucede no caso do Dr. Domingos Bragança, Vice Presidente da Câmara e Presidente do PS Guimarães, que defende uma coisa no caso do Dr. Ricardo Rio e outra no caso da Dra. Francisca Abreu, que acumula funções políticas com funções partidárias e com funções na Fundação Cidade de Guimarães.
Será que esta forma de estar na política abona em favor da suposta democracia que hoje celebramos…?

Reflectir o futuro da democracia em Guimarães implica questionar os mais altos responsáveis municipais sobre o comportamento que vão ter face a tão díspares posturas democráticas.
Continuará a persistir a incoerência? Continuará a confundir-se as funções institucionais com as responsabilidades partidárias?

Será importante nesta reflexão, recordar o relatório de avaliação do grau de observância pelos direitos e garantias dos membros da oposição no decorrer do ano de 2010. Registar-se que realmente se cumprem formalmente os direitos e garantias da oposição é o mínimo exigível a verdadeiros democratas. O que não foi acontecendo foi o respeito pela opinião diferente, a capacidade de assumir que em democracia pensar diferente não configura um delito e ter consciência que a força da democracia musculada das maiorias absolutas não precisam de impedir a intervenção da oposição para fazerem valer a sua perspectiva.
Resulta claro que em 2010 foram várias as situações em que, apesar de ser cumprido formalmente o estatuto da oposição, não houve respeito pela oposição. E o respeito não se mede pelo volume ou potência da voz. Mede-se pela capacidade democrática de gerir com um respeito insuspeito diferentes interesses que, optando por vezes por caminhos diferentes, têm um mesmo fim: o melhor para Guimarães e para os Vimaranenses.

Estará o poder democraticamente eleito em Guimarães disponível caminhar no sentido de um acréscimo qualitativo da nossa democracia quer no que toca à intervenção política, quer no que toca à fiscalização política? Estará o poder democrático empenhado no desenvolvimento de uma diversidade de opinião que só poderá conduzir a melhores soluções? Se assim for, estará disponível para alterar o Regimento da Assembleia Municipal de Guimarães para potenciar o debate democrático?

Este órgão mantém a comemoração do 25/Abril há décadas, mas não basta falar teoricamente dos princípios democráticos estabelecidos em Abril de 74: para se ser um verdadeiro democrata é preciso praticá-los.
A prática desses princípios democráticos não procura acantonar a oposição num curto espaço de intervenção; a prática desses princípios democráticos não procura reduzir ou limitar a diversidade da intervenção. Pelo contrário, a prática da verdadeira democracia potencia a opinião diversa, incrementando a democraticidade dos órgãos do poder político.

Sr. Presidente,
Srs. Deputados,
Só com verdadeiros democratas conseguiremos conquistar os desafios que o avançar inexorável do tempo nos fazem surgir a cada momento. A democracia contemporânea tem o desafio de voltar a fazer os cidadãos acreditar que a força da democracia vem do impulso de cada um.
Àqueles que, como nós, têm a responsabilidade de representar milhares de cidadãos cabe a difícil tarefa de criar mecanismos propícios a maior participação. para o fomento de uma cidadania mais activa, mais empenhada, mais exigente e mais fiscalizadora.

Quem se preocupar com o futuro da democracia tem também que pensar soluções que respondam ao tipo de participação que as novas gerações estão dispostas a ter na construção e no futuro da democracia.
Não merecerá perdão um olhar estranho sobre os jovens, que são garantia de futuro. Onde uns, poucos felizmente, poderão ver canalha, crianças com opinião, a maioria deverá, para fortuna de todos, ver novas perspectivas, novos horizontes, novos desafios. São as novas gerações que trazem o desenvolvimento. Quer pela renovação do panorama tecnológico, quer por quererem mais do que aquilo que as gerações anteriores já lhes garantiram. Quem não perceber isto presta um mau contributo à sociedade em que se insere…

Tal como esta comemoração do 25 de Abril de 1974 é um conjunto importantíssimo de fotogramas no filme da nossa história, também outros momentos importantes não devem ser esquecidos. Comemorar o dia 24 de Junho de 1128, deverá passar também por uma sessão solene da Assembleia Municipal de Guimarães para que possamos realizar uma reflexão colectiva. O Dia Um de Portugal merece um lugar no espaço democrático vimaranense. Porque não aproximar o fórum máximo da democracia vimaranense das celebrações do dia de Guimarães, de onde tem estado tão estranhamente afastado?

Esperam-nos tempos difíceis. A história explica que é precisamente nestes momentos que surgem os maiores desafios às sociedades. O 25 de Abril de 1974 foi o culminar de um período que se iniciou precisamente em circunstâncias que, à devida escala, eram semelhantes às que vivemos hoje.
Saibamos todos nós, agentes da democracia, actuar com o virtuosismo que se espera de quem advoga e se empenha na causa pública.

Consigamos todos nós, utilizando o poder que nos vêm da representação dos nossos pares, estar à altura dessa responsabilidade, encontrando as melhores soluções para o nosso futuro colectivo, imbuídos de sentido ético e de responsabilidade típico dos verdadeiros democratas, zelando pelo que é fundamental para todos com respeito pela diferença de opinião, cumprindo assim o essencial da democracia e do sonho de uma sociedade próspera, evoluída e justa, onde a igualdade de oportunidades não seja um desígnio, mas uma realidade para todos.

Tenho dito.

sábado, 23 de Abril de 2011

Conferência "Ser Social-Democrata" com José Manuel Fernandes


O eurodeputado do PSD José Manuel Fernandes deslocou-se a Guimarães, onde expôs a sua perspectiva europeísta numa conferência “Ser Social-Democrata”. A iniciativa, inserida num ciclo promovido pela JSD, decorreu na passada sexta-feira, 15 de Abril, na sede da ACIG.

Perante uma plateia de cerca de 50 pessoas, o antigo autarca de Vila Verde explicou a sua visão federalista e defendeu uma maior integração europeia, que, mais do que económica, deve ser política. “Ou há mais Europa ou isto pode desagregar. É preciso perceber qual a alternativa a mais Europa”, alternativa que, na sua opinião, não traz qualquer benefício aos cidadãos europeus. Sobre os nacionalismos que têm emergido em diversos Estados-Membros da União, afirmou ser “fácil criticar a Europa, que tem as costas largas, mas um dia ainda vamos pagar muito caro estas críticas”.

Para José Manuel Fernandes, um dos principais problemas actuais da União Europeia é a falta de lideranças. “Precisamos de líderes sem medo, que não governem de acordo com as sondagens. Precisamos urgentemente de começar a governar com a consciência de se estar a tomar as medidas certas, sem medo de hipotéticas consequências eleitorais.” O eurodeputado reafirmou a necessidade de uma maior solidariedade na Europa, não apenas entre Estados, mas também dentro dos próprios países, com o intuito de esbater as desigualdades existentes. Sublinhou, também, a importância da solidariedade intergeracional como uma marca fundamental dos social-democratas. Naquilo que concerne a questões de foro social, declarou “Eu atrevo-me a sonhar com uma Europa de direitos sociais mínimos”.

Sobre a situação portuguesa, o eurodeputado recuperou a frase do antigo Presidente da República, Jorge Sampaio, de que “há vida para além do défice”. “Pois há, a vida que nos trouxe ao momento de sufoco actual. Não controlar o défice e despesa públicos é hipotecar a geração futura, rompendo a solidariedade”, acrescentou. O parlamentar realçou a matriz reformista do PSD como essencial para o momento actual e destacou a importância de se voltar a pegar nas bandeiras da agricultura e da pesca, causas históricas do partido.

O Presidente da JSD Guimarães, Alexandre Barros da Cunha, salientou a importância destas conferências para formar e informar todos os cidadãos. Iniciativas como estas “são momentos fundamentais para aproximar os cidadãos dos actores políticos, promovendo a identificação de uns com outros e com as grandes questões que se nos colocam”, como o projecto europeu.

segunda-feira, 11 de Abril de 2011

Conferência "Ser Social-Democrata"


Na próxima sexta-feira, dia 15 de Abril, haverá mais uma conferência do ciclo "Ser Social-Democrata", desta vez com o eurodeputado do Minho, José Manuel Fernandes. Realizar-se-á na sede da ACIG (Associação Comercial e Industrial de Guimarães), na Rua da Rainha, às 21:30.

José Manuel Fernandes é deputado ao Parlamento Europeu desde 2009. De 1997 a 2009 foi Presidente da Câmara Municipal de Vila Verde, tendo os seus mandatos sido marcantes para o desenvolvimento daquele concelho.

A entrada é livre.

terça-feira, 5 de Abril de 2011

3º Encontro de Gerações

Próxima sexta-feira, dia 8 de Abril, a JSD Guimarães promove o 3º Encontro de Gerações. Trata-se de um convívio de actuais e antigos militantes, à volta de uma(s) mesa(s) e sempre com um ou mais temas em debate. Desta vez, falar-se-á sobre a a experiência no exercício de cargos públicos a nível nacional, municipal e de freguesia.


Oradores:

Francisca Almeida
Luís Cirilo Carvalho
Daniel Rodrigues



O jantar tem um custo de 12,5 jotas. Inscrições junto dos membros da Comissão Política ou através do endereço de e-mail jsdguimaraes@gmail.com.


JSD Guimarães no Facebook


quinta-feira, 17 de Fevereiro de 2011

Comunicado sobre a III edição do Parlamento Jovem Europeu

Decorrerá esta quinta-feira a primeira fase do Parlamento Jovem Europeu, onde os jovens das escolas secundárias e profissionais de Guimarães terão oportunidade de apresentar os seus projectos no âmbito do tema escolhido: Gastronomia.

Será um momento de debate que proporcionará a oportunidade de sentir a actividade cívica num sentido diferente. Os participantes experimentarão a capacidade de debater e decidir acerca de questões relacionadas com a gastronomia.

Não existindo em Guimarães um Parlamento Jovem de Guimarães, por clara falta de vontade política da Câmara Municipal, este é o evento mais próximo de um verdadeiro Parlamento. Por isso, esta simulação de ambiente parlamentar é importante num contexto de estímulo à participação cívica activa. É, portanto, uma iniciativa que merece o apoio da JSD Guimarães.

Embora continuemos a defender que é igualmente importante a instalação de um Parlamento Jovem de Guimarães, consideramos louvável esta iniciativa em parceria com as cidades com quem temos protocolo de geminação. Consideramos importante discutir temáticas de âmbito europeu, mais genérico e abrangente, e a consequente partilha de experiências promovida pelo intercâmbio.

Estas mesmas razões justificam o facto de continuar a ser incompreensível, para a JSD Guimarães, como não se promove uma iniciativa paralela sobre as questões locais. Seria um momento de debate e reflexão cívica sobre questões ligadas ao concelho de Guimarães, promoveria o intercâmbio entre jovens vimaranenses e contaria com um contributo mais efectivo pela proximidade entre as temáticas e a realidade envolvente dos jovens participantes.

Ainda que seja compreensível a temática escolhida para a edição deste ano, em virtude de ser uma temática que pode reflectir as diferentes realidades entre as cidades participantes, acresce ainda o facto de a gastronomia, enquanto traço cultural de uma região, se enquadrar perfeitamente na preparação de Guimarães 2012 – Capital Europeia da Cultura.

Apesar de ser uma temática aceitável no cenário exposto, para a JSD Guimarães, esta temática subestima a capacidade de pensamento político dos nossos jovens, uma vez que não incentiva uma reflexão aprofundada sobre questões relacionadas com a participação cívica activa. Numa altura em que tanto se discute a qualidade da participação e da intervenção política, este não será, certamente, o debate que mais explorará as capacidades dos jovens participantes.

Citando informação disponível no site oficial da Câmara Municipal de Guimarães, “O Parlamento Jovem Europeu (PJE) é um fórum de intercâmbio de jovens dos Municípios de Igualada (Espanha), Tacoronte (Espanha), Kaiserslautern (Alemanha), Compiègne (França) e Guimarães (Portugal)” que “tem como objectivos fundamentais (…) debater questões da actualidade na União Europeia e no mundo em geral, através da apresentação de trabalhos elaborados por jovens a frequentar o ensino secundário.”.
Num momento em que o Mundo atravessa um momento marcante ao nível económico-financeiro e ao nível do equilíbrio geopolítico, nomeadamente no Norte de África, é questionável a assertividade da temática escolhida para a III Edição do Parlamento Jovem Europeu.

Mais estranho será, à luz dos objectivos a que esse Parlamento se propõe, uma vez que não é compreensível em que medida a Gastronomia é uma “questão da actualidade na União Europeia e no mundo em geral”.

Outra questão que merece ser esclarecida é o facto de a rotatividade na organização do evento não estar a ser cumprida.

No momento em que todos os parceiros fundaram o Parlamento Jovem Europeu, ficou definida a rotatividade do evento por todos os municípios participantes. Até hoje apenas Guimarães acolheu e suportou a realização do evento, o que nos leva a questionar as razões desse incumprimento, já que prejudica a essência do Parlamento Jovem Europeu.

Assim, a JSD Guimarães procurará junto dos responsáveis autárquicos esclarecimentos, para que se assegure o sucesso desta iniciativa dentro dos princípios que lhe deram origem.

quinta-feira, 10 de Fevereiro de 2011

Estado da Nação



Nos últimos dias temos assistido ao reanimar da central de propaganda do Governo. Começou com os dados da execução fiscal de 2010, seguiram-se os números do crescimento das exportações, com um bonito congresso à mistura. Tudo dados para fazer a festa, à qual ajuda o “sucesso” dos leilões da dívida pública com juros muito próximos, mas abaixo da “limiar de sobrevivência” que Teixeira dos Santos traçou. A isto se junta o providencial Sócrates, em campanha interna pela reeleição, teimando em lembrar aos militantes do seu partido que ele é o último bastião de defesa do Estado Social, apesar de lhe ter aplicado o maior corte da sua breve história.

Mas parece que Sócrates já não controla os seus. O ministro Jorge Lacão sugere, isolado, através da imprensa que o número de deputados da Assembleia da República seja diminuído para o mínimo. Uma ideia que choca o PS, tendo logo sido desautorizado pelo líder do seu grupo parlamentar.

Entretanto, o povo sofre. A maravilha da execução fiscal é feita à sua custa, à custa do café que se deixa de tomar, da carne que troca por uma mais barata, da “extravagância” esquecida de comprar um livro ou um CD. Ou pior, da prestação da casa que não paga, do seguro do carro que foi à vida, da factura de electricidade.

Da estratosfera política ouvem-se rumores de que pode vir aí uma moção que dê corpo à censura que nas ruas os portugueses fazem deste desgoverno.

Na Educação, o costume. As constantes “reformas”, que criam uma incrível instabilidade no sistema educativo, pretendiam agora cortar no financiamento do ensino particular com contrato associativo, ameaçando com isso acabar com o serviço público que estas prestavam.

O grupo musical Deolinda surge, entretanto, com uma música que mexe. Cantam a situação precária e sem perspectivas de futuro que os jovens enfrentam. Uma “geração sem remuneração”, que salta de estágio em estágio sem qualquer estabilidade ou possibilidade de se emancipar. Uma geração sem futuro, mas que é o futuro do país, a mais bem preparada de sempre.

Em Guimarães antevê-se a festa que será 2012. No passado dia 30 de Janeiro foram apresentadas as linhas gerais da programação da CEC. Discursos optimistas, que ocultam todas as dúvidas que falta esclarecer, em particular sobre a sustentabilidade dos investimentos. São muitos os novos equipamentos e organismos que serão criados (fala-se agora de mais uma fundação), mas nada é dito sobre o financiamento destas instituições no pós-2012. Gabriela Canavilhas, ministra da Cultura, vem também a terreiro que não importa se as obras estão prontas no início ou no fim do ano. Esquece-se que essas obras ficarão para futuro, sim, mas foram pensadas para a CEC.

terça-feira, 1 de Fevereiro de 2011

Comunicado sobre a reeleição de Cavaco Silva como Presidente da República

Nos últimos 5 anos, o Presidente Cavaco Silva foi um Presidente atento à Juventude, promovendo roteiros nacionais e preocupado, nomeadamente, com o afastamento dos jovens da política. No seu discurso de vitória, dedicou a vitória aos jovens portugueses, a quem dirigiu palavras de incentivo, desafiando-os a serem exigentes nas suas escolhas e activos participantes da Democracia.

No entanto, na tarde de domingo, jovens e menos jovens viram a sua participação democrática ser dificultada. As filas extensas de eleitores munidos de cartões de cidadão, sem conhecimento dos novos números de recenseamento e respectivo local de voto, repetiram-se em todo o país. Muitos não puderam votar. Esta situação em muito contribuiu para a elevada taxa de abstenção. De facto, o problema descrito afectou uma grande parte dos jovens que exerceram pela 1.ª vez o seu direito de voto. Direito este que não foi respeitado pelo sistema democrático e que merece uma crítica veemente por tudo o que representa para o Estado de Direito.

Apesar da ténue tentativa de utilizar os números da abstenção para diminuir a legitimidade formal da reeleição, o Presidente Cavaco Silva foi reeleito pela maioria dos portugueses. Prova disso mesmo é a vitória esmagadora no contexto nacional: foi o mais votado em todos os Distritos e Regiões Autónomas.
No rescaldo a que temos assistido nos últimos dias, sobram as referências ao discurso de vitória. O Partido Socialista que ao apoiar Manuel Alegre pactuou com uma campanha de violentos ataques pessoais do reeleito Presidente da República, vem agora queixar-se da dureza das palavras de quem foi alvo de uma tentativa de assassinato de carácter. Em democracia o poder vem do Povo e o Povo voltou a confiar o seu poder ao Prof. Cavaco Silva por acreditar que será este Presidente da República o único capaz de compreender e agir em conformidade com a vontade dos cidadãos.

No que respeita à análise concelhia, Cavaco Silva obteve a maioria dos votos em 68 das 69 Freguesias que compõem o Concelho. Comparativamente com a média nacional, as Freguesias de Guimarães apuraram baixas taxas de abstenção. Caso particular, foi o verificado na Freguesia de Vermil que obteve a menor taxa de abstenção do Concelho (33,09%). Para tal facto, muito contribuiu a disponibilização de informação eleitoral nas redes sociais. Os jovens são frequentadores assíduos das redes sociais e nada mais eficaz e objectivo do que lhes disponibilizar informação de recenseamento através destas plataformas. Com efeito, a taxa de abstenção apurada no eleitorado jovem daquela Freguesia que votou pela 1.ª vez foi de apenas 5%. Constitui, pela participação, uma prática que merece distinção e uma saudação especial.

A JSD Guimarães congratula-se com a reeleição do Prof. Cavaco Silva como Chefe de Estado e mais alto representante de todos os Portugueses.

quinta-feira, 18 de Novembro de 2010

Plenário JSD Guimarães

No próximo dia 19 de Novembro haverá plenário de militantes da JSD Guimarães, pelas 21:30 no Largo do Toural.

quarta-feira, 17 de Novembro de 2010

Iniciativa em Vermil

Evento: “Iniciativa Politica Local Jovem de Vermil”

Promovida por: JSD núcleo de Vermil

Data e local: 20 de Novembro das 14:00 às 18:00 no edifício da Junta de Freguesia de Vermil.

Público-alvo: Todos os jovens com idades compreendidas entre os 18 e os 28 anos residentes em Vermil são convidados a participar activamente nesta iniciativa.

Enquadramento:
A nossa geração não pode ficar alheia aos problemas que a sociedade hoje enfrenta. Tem que ser responsável, interventiva, dinâmica e capaz de valorar as suas capacidades pela forma mais democrática possível, entendida como uma forma de valorizar a sua formação educacional e profissional e solidariedade inter-geracional.
Em razão dos novos tempos, a política, quer na sua forma partidária, quer social, afecta-nos na vida laboral, universitária ou profissionalizante. Por sermos o futuro de uma comunidade, cada jovem é chamado a expressar a sua opinião e ideias acerca das políticas jovens que o afectam directa ou indirectamente a um nível local, ou supra local.

Razões da promoção da iniciativa:
Esta iniciativa surgiu da necessidade de estimular a juventude de Vermil a discutir a politica jovem na Freguesia de Vermil numa concretização de actividades e eventuais investimentos vocacionados para a geração mais jovem.
A razão pela qual a JSD é a promotora deste evento fundamenta-se no facto de ser uma estrutura com a qual os jovens se possam identificar mais facilmente e se encontrar estabelecida na Freguesia. A JSD é apenas um rosto por detrás de um corpo que se requer expressivo na discussão de ideias a implantar ao nível local e concelhio, como qualquer associação ou organização de cariz religioso, desportivo e social em que os jovens estiverem integrados.
Esta actividade foi apresentada à comissão política da Juventude social-democrata de Guimarães e funcionará como um projecto-piloto para outras Freguesias cujos jovens já demonstraram interesse em conhecer e assistir.

Objectivos da iniciativa:
O objectivo deste contacto é a facilitação de um encontro de diferentes gerações de jovens que debatam ideias relevantes para o desenvolvimento da comunidade em que se inserem, livres de qualquer preconceito político ou social.
Proporcionar aos jovens de Vermil a realização voluntária de actividades vocacionadas para os conhecimentos, aptidões e competências adquiridas na área em que se formaram.
É uma oportunidade facultada aos jovens para participarem activamente no plano de actividades e proposta de orçamento para 2011 da Freguesia.

Áreas de intervenção da Iniciativa:
- Ensino, desporto, comportamentos de risco, cultura, voluntariado, inovação e tecnologia.

Ordem de Trabalhos:
· 14:00 às 18:00:
o Apresentação, discussão em grupos de trabalho das ideias expostas pela JSD de Vermil e manifestadas pelos Jovens de Vermil.
o Apresentação, discussão de propostas de execução de actividades e investimentos para a dinamização dos jovens da Freguesia de Vermil.
· 16:30 às 17:15 – Pausa